Sífilis

Também Conhecido como: VDRL, RPR, FTA, microscopia de campo escuro
Nome formal: Teste da Sífilis
Testes relacionados:



Como é utilizado?

Quando é solicitado?

O que significa o resultado?

Há mais alguma coisa que deveria saber?

 

Como é utilizado?

Os testes são usados para rastrear e diagnosticar a infecção por Treponema pallidum, a bactéria que provoca sífilis. Está recomendado o rastreio de todas as mulheres grávidas de preferência na primeira consulta pré-natal.

Existem vários métodos que podem ser usados para testar a sífilis. Um dos métodos utilizados para o diagnóstico de casos iniciais envolve visualizar a bactéria em raspagens do “cancro” utilizando um microscópio de campo escuro. Outros métodos exigem uma amostra de sangue para detecção de anticorpos. Estes incluem:

Para a rastreio - VDRL que significa “Venereal disease research laboratory” (teste do laboratório de investigação das doenças venéreas) e o teste rápido da reagina plasmática (RPR)

Para o diagnóstico - teste de absorção do anticorpo fluorescente do treponema (FTA-ABS) e ensaio de aglutinação de partículas do Treponema pallidum (TPPA)

A resposta ao tratamento pode ser determinada com um teste de RPR de acompanhamento. O teste FTA-ABS é utilizada para confirmar um VDRL ou RPR positivos no teste de rastreio. Na sífilis tardia ou latente pode ser obtido líquido cefalorraquidiano (LCR) por punção lombar para diagnosticar o envolvimento do cérebro (neurosífilis).

 

Quando é solicitado?

Um médico pode solicitar o teste:

- perante sintomas, como um “cancro” (úlcera ou ferida) nos órgãos genitais ou garganta;

- quando o doente está a ser tratado para outra doença sexualmente transmissível, como a gonorreia;

- quando uma mulher está grávida, porque a sífilis não tratada pode infectar e até mesmo matar um feto em desenvolvimento

 ou

- perante sintomas não específicos que se assemelhem à sífilis, para determinar a causa exacta de sua doença.

 

O que significa o resultado?

Se uma raspagem da pele revela presença da bactéria da sífilis (um teste positivo), existe infecção que requer tratamento com antibióticos.

O exame de sangue detecta os anticorpos que o organismo produz para combater a infecção, pelo que um teste positivo indica tanto uma infecção actual ou passada. O teste de sangue pode não encontrar anticorpos até três meses após a exposição à bactéria. Além disso, os anticorpos permanecem no organismo durante anos, por isso,  uma infecção passada com sífilis tratada, podem manter resultados positivos. Quando há um passado ou história de infecção por sífilis tratada, esta informação deve ser partilhada com o médico. Isso vai garantir a selecção dos testes apropriados, para determinar se a infecção é actual ou passada.

 

Há mais alguma coisa que deveria saber?

Alguns testes de sífilis não são específicos e podem dar um resultado falsamente positivo. Testes positivos devem ser testados novamente com um método mais específico.

Se uma pessoa é sexualmente activa, deve consultar o médico quando surgem: erupção cutânea ou ferida na área genital.

Se uma pessoa estiver infectada, o  parceiro sexual(s) deve ser testado e tratado.

Quando uma pessoa está  infectada, existe um  risco acrescido de contrair outras doenças sexualmente transmissíveis, incluindo o risco de ser infectada com o HIV, o vírus que causa SIDA.




Última data modificada15.04.2014

Nós aderimos aos princípios da charte HONcode da Fondation HON Nós aderimos aos princípios da carta HONcode.
Verifique aqui.