VMA

Também Conhecido como:
Nome formal: Ácido Vanilmandélico
Testes relacionados:



O que vai ser analisado?

Esta análise clínica avalia a quantidade de ácido vanilmandélico (VMA) que é excretado na urina, por norma, num período de 24 horas. O VMA é um dos metabolitos da adrenalina e da noradrenalina (catecolaminas). As catecolaminas são um grupo similar de hormonas produzidas na medular supra-renal, região central das supra-renais. As supra-renais são pequenos órgãos triangulares localizados acima de cada rim. As catecolaminas que primeiramente são libertadas são a dopamina, adrenalina e a noradrenalina. Estas hormonas são libertadas na corrente sanguínea em resposta ao stress físico ou emocional. Intervêm na transmissão de impulsos nervosos no cérebro, levam ao aumento da libertação de glicose e ácidos gordos para fins energéticos, dilatam os bronquíolos e as pupilas. A noreadrenalina também leva à constrição dos vasos sanguíneos e ao aumento da tensão arterial e a adrenalina aumenta o batimento cardíaco e o metabolismo. Depois de completas as suas acções, as catecolaminas são metabolizadas em compostos inactivos. A dopamina é convertida a ácido homovanílico (HVA), a noradrenalina é convertida em normetanefrina e VMA, e a adrenalina em metanefrina e VMA. Ambas as hormonas e os seus respectivos metabolitos são excretados na urina.

 

O VMA, por norma, está presente na urina em pequenas quantidades flutuantes que apenas aumentam consideravelmente durante e após a exposição do organismo ao stress. Os neuroblastomas, feocromocitomas e outros tumores neuroendócrinos, no entanto, podem levar à produção de grandes quantidades de catecolaminas, resultando num aumento considerável da concentração destas hormonas e dos seus metabolitos, podendo causar hipertensão persistente, dores de cabeça intensas, palpitações, transpiração, náuseas, ansiedade, e formigueiro nas extremidades.

 

Os neuroblastomas são cancros raros mas, de acordo com a American Cancer Society, é a forma de cancro mais comum entre os recém-nascidos. Nos Estados Unidos da América, 650 novos casos são diagnosticados a cada ano, principalmente em bebés entre os 12 e os 24 meses, sendo que, aproximadamente 90 % de todos os casos ocorrem em crianças até aos 5 anos de idade. Muito raramente, um bebé pode nascer com um neuroblastoma. Originários no tecido nervoso, podem ser encontrados no abdómen, supra-renais, pescoço, tórax ou pélvis. Em cerca de 2/3 das situações, quando são diagnosticados, os tumores já metastizaram para outras partes do organismo. Uma vez detectados, grande parte dos neuroblastomas podem ser tratados com sucesso. Em alguns casos os neuroblastomas podem desaparecer por si próprios ou então as suas células podem, de forma espontânea, maturar em células nervosas normais, tornando-se este tumor num ganglioneuroma benigno ou então num ganglioneuroblastoma parcialmente benigno.

Os feocromocitomas são tumores raros que têm origem nas supra-renais. De acordo com o Nacional Cancer Institute, cerca de 800 casos são diagnosticados por ano nos Estados Unidos da América, incidindo principalmente em indivíduos com idades entre os 30 e os 50 anos. Uma grande parte dos feocromocitomas é benigna e não metastiza para outros órgãos do corpo. Se não for tratado, o tumor continuará a desenvolver-se e a produzir catecolaminas e, em consequência, os sintomas associados à libertação desta hormona serão cada vez mais severos. Com o passar do tempo, a hipertensão associada ao feocromocitoma poderá causar dano em determinados órgãos, como os rins, o coração, e aumentará o risco do indivíduo sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) ou um enfarte do miocárdio. O diagnóstico de um feocromocitoma torna-se extremamente importante pois representa uma forma potencialmente curável de hipertensão. Na maioria dos casos, estes tumores podem ser removidos e/ou tratados, eliminando ou reduzindo assim os sintomas e complicações a ele associados.

O teste do VMA, bem como outras análises clínicas às catecolaminas e seus metabolitos pode ajudar na detecção de neuroblastomas e feocromocitomas.    

 

Como se obtém a amostra para análise?

Para uma amostra de urina de 24 horas deverá colher toda a sua urina num período completo de 24 horas. É aconselhável manter a urina que se vai recolhendo refrigerada no frigorífico. Para a análise a uma amostra de urina ocasional, deverá ser colhida uma única amostra de urina.

 

É necessário algum teste de preparação para garantir a qualidade da amostra?

Os resultados obtidos nesta análise clínica podem ser afectados pela cafeína, certos fármacos e pelo stress. Informe o seu médico acerca das medicações que está a tomar, incluindo suplementos de ervanário e produtos de venda livre, e siga quaisquer instruções que lhe forem dadas sobre o que deve evitar antes da colheita da amostra.




Última data modificada07.10.2010

VMA

Também Conhecido como: Vanillylmandelic acid
Nome formal: Vanillylmandelic acid
Testes relacionados:






Última data modificada07.10.2010

Nós aderimos aos princípios da charte HONcode da Fondation HON Nós aderimos aos princípios da carta HONcode.
Verifique aqui.