VMA

Também Conhecido como:
Nome formal: Ácido Vanilmandélico
Testes relacionados:



Como é utilizado?

Quando é solicitado?

O que significa o resultado?

Há mais alguma coisa que deveria saber?

 

Como é utilizado?

O teste do VMA é principalmente usado no diagnóstico ou despiste de neuroblastomas, em crianças com massa abdominal ou outros sintomas sugestivos de doença. Poderá ser solicitado juntamente com uma análise aos níveis de HVA, para ajudar a diagnosticar um neuroblastoma, para monitorizar a eficácia do tratamento ou ainda para monitorizar a recorrência de um neuroblastoma. A creatinina na urina, é por norma também pedida, particularmente quando é usada uma amostra de urina ocasional e, os resultados destes testes, são frequentemente apresentados como uma razão VMA/creatinina ou razão HVA/creatinina. Uma vez que a creatinina é uma substância que é excretada na urina a um ritmo relativamente constante, é usada para avaliar a taxa de excreção do VMA e do HVA.

 

Antigamente para detectar feocromocitomas, por norma, era solicitado o teste do VMA na urina, todavia, hoje em dia, são preferidas análises às metanefrinas livres no plasma, metanefrinas na urina e catecolaminas na urina ou no plasma. O teste do VMA na urina contínua, ainda, a ser solicitado, juntamente com outras análises clínicas, para detectar ou despistar feocromocitomas.

 

 

Quando é solicitado?

Este teste é solicitado quando o médico suspeita que a criança é portadora de um neuroblastoma ou então para despistar essa possibilidade. Poderá ser pedido, juntamente com o teste do HVA, quando a criança possui uma massa abdominal ou outros sintomas sugestivos de ter um neuroblastoma. Estes sinais e sintomas poderão variar quer ao longo do tempo quer devido à sua localização:

·         A maioria dos neuroblastomas está localizado no abdómen e, em consequência, o sintoma mais frequente caracteriza-se pela presença de uma massa abdominal. Outros sintomas incluem dores abdominais e falta de apetite;

·         Por vezes, um tumor no pescoço pode causar transpiração e afectar a respiração e a deglutição;

·         Se o tumor comprime os nervos da espinal medula pode afectar a capacidade da criança andar;

·         Se o tumor se difundiu até aos ossos (metastização), poderá causar dores ósseas, e se metastizou até à medula óssea, poderá afectar a produção de glóbulos vermelhos, causando fadiga, palidez e hemorragias.

O teste do VMA pode também ser pedido em situações em que a criança foi tratada a um neuroblastoma e é periodicamente solicitado, para detectar recaída. Quando o médico suspeita que o doente tem um feocromocitoma, este teste pode ser pedido juntamente com uma ou mais determinações das metanefrinas e catecolaminas. Este conjunto de análises poderá ser solicitado quando o doente tem sintomas persistentes ou recorrentes de hipertensão resistente à terapêutica e para monitorizar a eficácia do tratamento de um feocromocitoma e ainda, periodicamente, para detectar recaída.

 

O que significa o resultado?

Uma vez que o teste do VMA pode ser afectado por muitos factores externos, e os neuroblastomas e feocromocitomas são raros, ocorrerão mais falsos positivos do que verdadeiros positivos. Uma grande quantidade de VMA na urina, não é por si só diagnóstico de uma condição; é, contudo, indicação de que são necessárias mais análises para determinar a causa destes níveis anormais de VMA na urina. O stress físico ou emocional intenso poderá originar temporariamente um aumento dos níveis de VMA. O médico deve avaliar a criança ou o adulto como um todo – a sua condição física, estado emocional, medicações prescritas e qualquer produto de venda livre que o doente esteja a tomar. Quando substâncias e/ou condições interferentes são detectadas e solucionadas, o médico, por norma, solicitará novo estudo como forma de avaliar se os níveis de VMA ainda se encontram alterados. O médico pode também solicitar outras análises às catecolaminas e às metanefrinas além de exames imagiológicos, como uma ressonância magnética para ajudar a localizar o(s) tumor(es).

 

Se uma criança ou adulto está em tratamento a um neuroblastoma ou a um feocromocitoma, então uma redução nas concentrações de VMA na urina poderá indicar que o doente está a responder ao tratamento; por outro lado, níveis estáveis ou crescentes são indicação de que o tratamento não está a ser eficaz. Em pessoas que anteriormente tiveram um neuroblastoma ou um feocromocitoma, se os níveis de VMA são estáveis e depois aumentam, então é provável que haja recaída.

 

Cerca de 90 % das crianças com neuroblastomas produzirão excesso de VMA e de HVA. Se o teste do VMA ou a outras catecolaminas e metanefrinas apresenta resultados normais, então é pouco provável que uma criança tenha um neuroblastoma ou que um adulto tenha um feocromocitoma, no entanto, essa possibilidade não pode ser completamente excluída. Estes tumores não produzirão necessariamente catecolaminas a um ritmo constante; com efeito, ocorrerão flutuações nos níveis destas hormonas e destes metabolitos na urina pelo que, determinada amostra de urina analisada, poderá não apresentar concentrações elevadas em catecolaminas e metanefrinas e ainda assim o tumor existir. A probabilidade de isto suceder aumenta quando para o teste se usa uma única amostra de urina isolada.

 

 

Há mais alguma coisa que deveria saber?

Os níveis de VMA produzidos não corresponderão necessariamente ao tamanhão do tumor. Esta é uma característica física do tecido tumoral. A quantidade total de VMA produzida, contudo, tenderá a aumentar à medida que o tumor cresce.

 

Nos casos de presença de um neuroblastoma, o médico, por vezes, avaliará a razão VMA/HVA. Se esta razão estiver baixa será pior o prognóstico.

 

Uma grande variedade de medicamentos causa interferência no teste do VMA, no entanto, o doente deverá falar com o seu médico antes de parar ou diminuir a toma de qualquer medicação. Alguns fármacos que podem interferir nos resultados deste teste incluem supressores do apetite, cafeína, clonidina, dissulfiram, histamina, imipramina, insulina, adrenalina, levodopa, lítio, morfina, inibidores da MAO, nitroglicerina e alcalóides da Rauvolfia. Os efeitos destes fármacos varia de pessoa para pessoa e por vezes podem não ser antecipados.  




Última data modificada07.10.2010

VMA

Também Conhecido como: Vanillylmandelic acid
Nome formal: Vanillylmandelic acid
Testes relacionados:






Última data modificada07.10.2010

Nós aderimos aos princípios da charte HONcode da Fondation HON Nós aderimos aos princípios da carta HONcode.
Verifique aqui.